quarta-feira, 23 de março de 2011

Pedro Wilson: É tempo de sonhar e fazer acontecer a Justiça Social e a Paz!!

Tem gente que depende pra a gente gostar. Tem gente que a gente gosta naturalmente. Pedro Wilson é um destes casos. Tenho apreço pela sua atuação política sempre coerente, radical (no sentido de ir à raiz das questões). O detalhe é que a pessoa humana em momento algum se separa do animal político que é. Não faz questão de holofotes. Quando entra na luta, é sempre pra valer. Direitos Humanos, Meio Ambiente, Participação Popular, Educação (não necessariamente nesta ordem). É Pedro. É pedra de luta, pela emancipação do povo, sempre. Só um trecho de seu artigo já mereceria destaque: "É tempo de dizer não a todas as formas de opressão e violação a vida. É tempo de dizer sim à paz, combatendo as mazelas que permeiam nossa realidade, que exclui, reprime e oprime."

Mas ganha quem ler o texto completo.

Boa leitura!

Cláudio.


Pedro Wilson: na luta, sempre. Afinal: a luta continua, companheir@.
Foto: Leoiran




É TEMPO DE SONHAR E FAZER ACONTECER A JUSTIÇA  SOCIAL E A PAZ!!


 Eu quero ver, eu quero ver
Acontecer
O sonho bom, sonho de muitos
Acontecer
Nascendo da noite escura
A manhã futura trazendo amor
No vento da madrugada
A paz tão sonhada brotando em flor
Na sombra verde e florida
Crianças em vida brincando de irmão
No rosto da juventude
Sorriso e virtude
Virando canção” Z
é Vicente

*Pedro Wilson Guimarães


É tempo, de renascer, de plantar a semente e regar para que brote amores e frutos novos e saborosos. É tempo de sonhar com uma sociedade onde possamos arrancar as grades das nossas janelas para tocar as flores, onde as crianças tenham medo apenas do escuro, do sapo e dos filmes de terror. É tempo de sonhar, mas também de ousar e acreditar que o novo sempre vem, pois creiamos na sociedade de todas as raças e etnias, do diferente e da não indiferença, onde os jovens possam ser apenas protagonistas de uma realidade inclusiva, plural, eqüitativa e verdadeiramente livre.  Ousemos sonhar com a liberdade essa que tem cheiro de terra molhada pelo orvalho da manhã que surge como a vida que renasce no ventre materno e cresce.  E olhem que sonho bom! Sonhar com uma educação inclusiva e transformadora abrindo o caminho para o desenvolvimento, melhoria da qualidade de vida e materialização dos objetivos nacionais.  E nesse sonho bom na sociedade dos iguais aprendermos que a marcha exige de nós compromisso! O compromisso com Deus da vida de Abraão,  Sara, Isaac e Jacó e de todos que caminham em fileira, sempre na busca de viver em plenitude e dignidade. Compromissos com a história e memória  de tantos e tantos que deram a vida por milhares de outras incontáveis vidas. E nessa caminhada fica sempre a marca com a qual ferimos a terra que aramos e vamos semeando nosso futuro, por isso é importante ousar e sonhar com a sociedade a qual sonhou Margarida, Jozimo, Ir. Dorothy, Sebastião,  João XXIII,  Moura,  Luiz Orio,  D. Helder, D. Fernando e ainda hoje muitos outros sonham como  D. Pedro Casaldáliga, D. Heriberto, Ricardo, D.Tomás, D. Antônio, D. Washington, Irene, Petra, e tantos outros/as que fizeram e são história e memória viva na nossa caminhada de cristãos militantes da fé que liberta e constrói o novo, rompendo barreiras. E assim avancemos na luta pela igualdade, justiça social, na luta contra todas as formas de violação aos direitos humanos e a pessoa humana.

 É   tempo de adotarmos novos paradigmas de como se viver em comunidade de forma solidária e fraterna. E  olhar de forma diferente para o mal que avança e destrói a vida, digna de ser vivida, combatendo  de forma contundente  cortando raízes e replantando sementes de solidariedade, justiça social e cultura de paz, essa paz tão sonhada e muitas vezes não alcançada. Sonhar é sempre bom,  por que não custa nada, dizem por ai, mas quando se sonha com um mundo mais humano, com igualdade social, sem guerras, sem torturas e ditaduras (como o governo de Kadafi, e quantos ainda existem por ai escondidos atrás de suas Wics?), sem violência, sem drogas, sem analfabetismo, sem violação aos direitos humanos, sem  miséria que avança e aumenta a fome de tantos irmãos, não fica tão simples assim, pois  quando  nos colocamos como agentes de esperança a serviço da vida não temos o direito de simplesmente de sonhar, ainda que a terra seja banhada pelo sangue de muitos irmãos resultado de sua ação concreta de  indignação e transformação da realidade, de luta pela vida plena nesse imenso  planeta azul.

É tempo sim de acreditar na força do homem que vai a luta e não se cansa que tem sonhos e esperança e avança. É tempo de celebrar as várias conquistas  em nosso país, pois, hoje vivemos no Brasil   com maior distribuição de renda, com a economia estável, sendo protagonista e construindo uma nova história nos trilhos do desenvolvimento sustentável, rompendo  barreiras do preconceito, com novos conceitos, tendo a primeira mulher presidenta e é importante lembrar tal conquista sempre. É tempo de avançar mais, pois sabemos que ainda não é o suficiente nem o desejado nesse país de multicores  e plural, com um povo que celebra a vida através dos cultos religiosos, das festas populares, das várias manifestações culturais  regionais que nos fazem tão diversificados, mas  infinitamente brasileiros/as de cor preta, branca, amarela, de ricos e pobres de índios e de todas as etnias e credos. É tempo de acreditar para  vivermos os reais paradigmas da conjugação do verbo ver, julgar e agir, para transformar cada dia mais essa  realidade promissora.

É tempo de ter fé na vida, no homem e no que virá. É tempo de dizer não a todas as formas de opressão e violação a vida. É tempo de dizer sim a paz, combatendo as mazelas que permeiam nossa realidade, que exclui, reprime e oprime. É tempo de dizer sim a alegria, a esperança que alimenta nossos sonhos a vida e avança. É tempo  sim de replantar a semente que fecunda o chão, de cantar uma nova canção, de darmos as mãos e fazermos uma grande ciranda em defesa da vida, sonhar mais um sonho possível de um mundo justo e equitativo, que corra leite e mel, poesia, alegria, cores e vida com mil amores, com paz e justiça social e econômica. É tempo de tolerância e respeito entre os povos, política e religiosa. É tempo de pedir perdão a mãe terra, por tanta devastação e destruição causada pela ousadia do homem. É tempo de repensar o planeta que já não suporta tanta degradação de forma desenfreada. É tempo de mobilização pela aprovação da PEC115-150/1995, que torna os dois biomas  Cerrado e  Caatinga  Patrimônio Nacional. É tempo de reconstrução aqui no Brasil  ou lá no Japão que ainda chora os seus milhares de mortos e vive a mercê da ameaça radioativa. É tempo de pensar no acidente do Césio 137 em Goiânia e que tem, até hoje, gente clamando por reparação (moradores, servidores, soldados e bombeiros de Goiás. É  tempo de construção sempre, mesmo agora no Haiti após viver tamanha catástrofe desordem política e social seu povo está preste a ir às urnas novamente na expectativa e perspectiva de um novo, com uma nova proposta de organização política, econômica e social. É tempo de solidarizarmos como todos nossos irmãos de todos os continentes, e todas as religiões mulçumanos, judeus,  cristãos ou não cristãos, independente da fé que professam ou não. É  tempo enfim de nos unirmos homens e mulheres  de todos os povos num desejo profundo de fazer acontecer o sonho maior  de paz mundial se concretizar.



* Pedro Wilson Guimarães.  Prefeito  e  Vereador  de Goiânia.  Deputado Federal de  1993-2011  PT/GO.   Professor da UFG e da  PUC-GOIÁS  e dos Movimentos de Direitos Humanos, Fé e Política, Educação,  Cerrados  e Participação Social.   E-mail: pwguimaraes@yahoo.com.br   Fone/fax (62) 39421074

Um comentário:

  1. Este comentário foi removido por um administrador do blog.

    ResponderExcluir